Ir para o conteúdo <!-- ClassCommunityPlugin not in a profile -->

Institucional

 Voltar a Notícias
Tela cheia Sugerir um artigo

OFICINA DE ESCRITA CIENTÍFICA 2018.2

28 de Junho de 2018, 12:41 , por Ana Elisa Rocha - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 688 vezes

174 oficina de escritae mail prancheta 1

 

Inscreva-se

 

 

 EMENTA

Desenvolvimento de ferramentas do pensamento lógico dialético para domínio de procedimentos teórico-metodológicos científicos que permitam realizar atividades cognitivas em um plano mais avançado, considerando: análise, síntese, comparação, raciocínio indutivo, raciocínio dedutivo, abstração, generalização e a concreção, a ideia de causalidade, conceituação e pensamento crítico, visando a produção da escrita científica.

 

OBJETIVOS

GERAL

Desenvolver nos estudantes da graduação e pós-graduação stricto sensu ferramentas do pensamento para produzir escrita científica com rigor, a partir de ações cognitivas e domínio prático da ABNT.

 

ESPECÍFICOS

  • Esclarecer o conceito dos fundamentos do desenvolvimento do pensamento a partir de atividades psíquicas para produzir conhecimento em escrita científica;
  • Realizar práticas de produção de texto com fundamentos básicos de atividades psíquicas com aplicação da ABNT na elaboração de textos científicos;
  • Desenvolver prática de escrita científica, considerando elementos essenciais e específicos de exigências dos elementos da introdução, desenvolvimento e considerações finais;
  • Promover a produção de ensaio científico como atividade prática da escrita científica.

 

CONTEÚDOS / CRONOGRAMA

CONTEÚDOS

DIAS

·  Apresentação do Plano da Oficina de Escrita Científica

·  As relação sujeito-objeto nas correntes de pensamento para produzir conhecimento científico: Fundamentos do campo epistemológico.

17/8

·  Fundamentos básicos de atividades psíquicas com aplicação prática da ABNT pela via do condensamento do pensamento científico para evitar o plágio.

·  Fundamentos para elaboração de Pré-Projeto de pesquisa para seleção em Programas stricto sensu: critérios de exigências.

24/08

·  Ferramentas tecnológicas de apoio à produção da escrita científica: Acesso a bancos de dados de pesquisa, Mendley, Programa anti-plágio, Google For Education.

·  Fundamentos de revisão da Língua Portuguesa aplicada à produção do texto científico.

31/08

·  Fundamentos técnicos teórico-metodológicos para produção de resumos: fichamento e resenha, elaboração de artigos, ensaios (empírico, teórico, analítico, descritivo ou histórico), release, paper, relatórios de pesquisa, Tese e dissertação.

·  Mapas conceituais como aporte para organização da associação lógica do pensamento organizado para atender à elaboração da redação científica.

·  Elaboração de roteiro teórico (outline) para a redação científica

·  Check-list (análise crítica da produção da redação científica).

14/09

·  Os requisitos da introdução e sua função no texto científico: Fundamentos práticos de aplicação da ABNT na redação.

21/9

·  O desenvolvimento no texto científico, a partir da decomposição do plano teórico e do necessário teor de argumentos.

·  Bancos de dados online e temas de investigação.

·  Fundamentos práticos de aplicação da ABNT na redação.

28/9

·  Considerações finais que geram a síntese necessária da redação científica com fundamentos práticos de aplicação da ABNT na redação.

05/10

·  Elaboração de ensaio científico de revisão bibliográfica a partir de orientações básicas fundamentais (1º. Momento).

19/05

·  Elaboração de ensaio científico de revisão bibliográfica a partir de orientações básicas fundamentais. (2º. Momento)

09/11

·  Elaboração de ensaio científico de revisão bibliográfica a partir de orientações básicas fundamentais. (2º. Momento)

16/11

·  Seminário de exposição de ensaios científicos de revisão bibliográfica articulado com a produção de pesquisa dos estudantes e colaboradores.

23/11

 

METODOLOGIA

Propõe-se o envolvimento dos participantes num processo teórico-metodológico de estudos orientados, referendado em bases de iniciação científica para produzir redação científica, visando objetivar momentos integrados de produção teórica e prática, considerando:

 

  • Breves momentos de exposições com slides para fundamentar as bases teórico-metodológicas do processo da redação científica;
  • Consulta prática de aplicação da ABNT na produção de parárafos com citações;
  • Sistematizações de redação científica com aplicação da ABNT, uilizando a referência da leitura da obra: “Como ordenar as ideias” (encontra-se online);
  • Produção orientada de ensaio científico para elaboração de elementos textuais redacionais, que são fundamentais para a produção da comunicação científica.

 

AVALIAÇÃO

 

Avaliação tem caráter processual sobre a participação individual e coletiva dos estudantes, durante todo o processo de estudos teórico-práticos da oficina, considerando a relação sujeito – objeto do conhecimento para atingir os objetivos propostos.

 

Considera-se o desempenho dos participantes em todas as produções/atividades realizadas, considerando que todas possuem caráter avaliativo, o que implica em observação de dimensões de aprendizagens que incidem sobre a participação no trato com o conhecimento, considerando o conhecimento sistematizado.

 

REFERÊNCIAS BÁSICAS

BOAVENTURA, Edvaldo. Como ordenar as ideias. 8ª. ed. 2ª. impres. São Paulo: Ática, 2000. 59 p. Disponível em: http://www.ebah.com.br/content/ABAAAflZsAH/como-ordenar-as-ideias-edivaldo-boaventura. Disponível em: 15 jan. 2018.

BOOTH, W. C; COLOMB, G.G.; WILLIAMS J. M. A arte da pesquisa. São Paulo: Martins Fontes, 2000. 97 – 202 p.

CARMO-NETO, Dionísio Gomes de. Escrevendo e orientando: papers, monografias e tese. Salvador – Ba, Editora Facceba&Unyahna, 2011. 138 p. 

CRISTOVÃO, Henrique Monteiro. Mapas conceituais. Espírito Santos: CEAD - Instituto Federal do Espírito Santo. (37 min). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=4lBT37SJ42c>.                                           Acesso em: 01 jul. 2016. 

DAVYDOV, V. V. Tipos de generalización em la enseñanza. Cuba: Pueblo y Educación, 1982. 180 p.

LUBISCO, Nídia M. L.; VIEIRA, Sônia Chagas; SANTANA, Isnaia Veiga. Manual de Estilo Acadêmico: Monografias, dissertações e teses. 5ª. ed. Salvador: Ed. UFBA, 2008. 145 p.

SANTOS, Gildenir Carolino. PASSOS, Rosemary; SOUZA, Rogério Gualberto de. Percurso científico: Guia prático para elaboração da normatização científica e orientação metodológica. Campinas – Sp: Arte Escrita, 2012. 153 p. 

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23ª. ed. ver. e atual. 5ª. reimp. São Paulo: Cortez, 2007. 304 p.

SOARES, Magda. Para quem pesquisamos? Para quem escrevemos? In: MOREIRA, Antônio Flávio; SOARES, Magda; FOLLARI, Roberto A.; GARCIA, Regina Leite. (Org.) Para quem pesquisamos, para quem escrevemos: o impasse dos intelectuais. 2ª. ed. São Paulo: Cortez, 2013. 65 – 90 p.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em Ciências Sociais. São Paulo: Atlas, 1987. 175 p.