Ir para o conteúdo

Thin logo

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO

30 de Junho de 2021, 11:39 , por ascom - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

O tempo tem danificado várias obras documentais ao redor do mundo, muitas se perderam completamente, justamente em função da negligência, ignorância e má conservação. Contudo Conservadores e Restauradores vêm trabalhando diariamente para conter o avanço dessa degradação. No LEV, o nosso trabalho surge com o propósito de salvaguardar o importantíssimo acervo histórico do ACMS (Arquivo da Cúria Metropolitana de Salvador) conservando-o e restaurando-o consecutivamente. O ato de preservar a memória representada pelas obras documentais e imagéticas da cidade do Salvador justifica-se em função da sua alta relevância histórica e cultural no Brasil e no mundo.

Com o grande avanço tecnológico e científico é inadmissível que profissionais continuem atuando empiricamente na intervenção de bens culturais, com total desconhecimento das causas de deterioração dos materiais produzidos por razões físico-mecânicas, químicas e biológicas, como também das medidas preventivas de conservação. Nesta perspectiva nosso quadro técnico é altamente capacitado contando com mestres e especialistas que desenvolvem seu trabalho com responsabilidade e de acordo com as normas técnicas e científicas que regem as intervenções modernas de restauro.

Cabe ao Conservador-Restaurador sintonizar-se com a obra, percebê-la, captá-la e senti-la, primeiro em caráter intuitivo, imediato, passando logo para o mediato, baseando-se na investigação de critérios metodológicos de análise e diagnóstico, através de exames com aparelhos de imagem e precisão. Só assim podemos conhecer qual o real valor adquirido em que se vai intervir, reintegrando-a novamente de modo vital no seu meio social.

A esta simbiose restaurador-documento, só se pode chegar, analisando os “momentos” estético, físico (estrutural) e histórico. Dentro dessa tríade o restaurador penetra na sua estrutura (suporte), reconhecendo seus símbolos e signos, sua composição, movimentos, proporções, o momento de sua criação, suas implicações socioculturais e historicidade.
Para se entender melhor o que fazemos é preciso definir de forma clara o que de fato são a Preservação, Conservação e Restauração de bens culturais:

A Preservação é um dever de todo cidadão, ela se dá através da ética e da educação patrimonial, a preservação é vital para a perpetuação dos bens culturais pois são as atitudes e ações da comunidade em que a obra está inserida que garantirá sua integridade física no decorrer do tempo a partir da sua concepção (criação).

A Conservação são ações exercidas por técnicos qualificados, ela garante que o bem cultural esteja sempre zelado através de constante manutenção, como acondicionamento (armazenamento) adequado, higienização e limpeza das sujidades, controle da umidade, temperatura e iluminação, transporte adequado, digitalização, etc...

A Conservação Preventiva é a manutenção e cuidados do entorno (local) onde o bem cultural, no nosso caso o documento está inserido, como imunização e dedetização do prédio e do terreno, colocação de extintores e barreiras de incêndio, etc...

A Restauração é a intervenção propriamente dita, exercida por profissionais qualificados, são ações de “revitalização” estética, histórica e física das obras já deterioradas. Para tanto seguem-se as normas da estabilidade (utilização de materiais e produtos previamente testados e estudados quanto ao seu comportamento químico), reversibilidade (utilização de materiais reversíveis, retiráveis) e legibilidade (respeito ao histórico da obra, não criando falso histórico e não encobrindo o restauro feito).

No que tange à priorização dos documentos que serão restaurados, periodicamente são feitas avaliações em conjunto com setor de tratamento Arquivístico, levando em conta a raridade, estado de conservação e frequência de pesquisa.


(sem posts)